Eloqüência disparatada


E depois reparei que o silêncio solar das minhas tardes mágicas conduzia nos braços o som de uma felicidade mais ampla e inteira. Uma luz intensa que emana do teu interior; e sim, desta vez a minha vida não se escreve sozinha, se escreve contigo e não é como o peso de uma rocha. Nenhum sonho me torna escura, meu amor, e todos os dias são uma passagem ao teu sorriso onde eu ainda descanso restringida pela minha pele. Os meus dias esquecem-se, e eu sou os olhos fechados na aragem estendida do espaço ressurgido daquela água que convoca todos os raios de sol.

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 18h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Abandonou-se

 

Depois de tantas noites brilhar sem mãos abandonou-se à flatulência e numa habitação cerrada à expectativa de raiar transparentes eram os instrumentos que em si se tocavam solitários e fracos.

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 16h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O frio

 

O frio, às vezes é só o frio, aquele frio sem retorno, aquele frio fatigado de terminar num lugar muito distante onde tudo se descuida de mim. Ao profundo do meu corpo, ao passo que à noite me dispo para me deitar, ouço todas os sons de um café da desferida via pública. Aqui dentro é a luz que se espraia numa resistência perfeitamente fiel a uma condição isolada e rebelde. Às vezes é só um calafrio. É um sofrimento para dentro como um soluço, como um piano que descansa naqueles cômodos humildes e só com uma janela. À noite, estendo-me então na cama e os meus olhos esquadrinham o branco fechado e amarelecido do teto como um absoluto desconhecido e derradeiro.


Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 21h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Coração escancarado

Sinto em ti
Aquele amor
Que é mais do que a aparência
Mais do que a vivacidade
De um abraço desejado
Aquele amor
Que é mais do que o olhar
O olhar liquefeito dos teus olhos
Que é mais do que uma pele
Eriçada
Do que um sorriso
Que transborda

Aquele amor
Que jamais é menos
Do que o Tudo
Aquele amor
Que somente pode doar
Quem não possui nada

Aquele amor que é
Tudo isso... e
Tudo isto:
Um coração escancarado

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 22h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Aurora

Vagarosamente
Como quem toca
E admite
O que é seu
Como quem perde a vida
Para nascer de novo
Morosamente
Como quem deixa
O velho vestuário
Como quem
Estende as mãos
Demoradamente
Como quem se permite
Impressionar
Na beleza

Sussurro-te
Pausadamente

Impetuosamente


“Podes amar-me”

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 15h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Eu

Necessito que me reveles:
O que és
O que percebes
O que desejas...
Necessito que abras esses olhos
Sem inquietação!
Para que eu me (re)encontre
Neles...

Deixa-me contemplar-te demoradamente
Deixa-me olhar-te, quando sequer tu...
Sequer tu te enxergas
Deixa-me escutar-te
E, por obséquio...
Deixa-me amar-te

Necessito de ti

Da tua vida,
Na minha vida
Do teu sorriso,
Na minha felicidade
Do teu sentir,
No meu sofrimento

Necessito de ti
Deste modo, tal e qual...

Necessito de ti...
E com este vigor,
Porque sem ti...
Não entendes?!
Sem ti... não posso falar:
Eu.

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 22h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Meu amor

Amor,
De que maneira te falar
De que maneira te denotar
De que maneira te fazer entender
Que quando te causa dor
Quando te queima
Quando te arrebata
A mim, da mesma forma...
Me causa dor
Me queima
Me arrebata
O coração!

Amor,
De que maneira te falar
De que maneira te denotar
De que maneira te fazer entender
Que quando te preenche
Quando te livra
Quando te faz tremer
A mim, da mesma forma...
Me preenche
Me livra
Me faz tremer
O coração!

Não estivesse eu trancada,
Na cela do que consigo enxergar
Viesse eu mais longe,
Contemplando com o coração
E seria...
Mais nítido
Mais singelo
Mais claro
Que tu e eu,
Pelo amor
Que formidavelmente ( ! )
Nos prende
Nos unifica...
Tu e eu...
Somos um!

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 00h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Folha em branco

Uma folha em branco
É continuamente
Escancarada porta
À representação de palavras
E a vida que acontece
Avalanche
Que o silêncio conduz
Oculta

Consente a minha mão
Estendida
Como a caneta recebe
Cada letra
Esteja de acordo com o meu amor
Vazio
Como os blocos que preenchemos
De fios

Conserva-me no íntimo
De ti
Escreve-me nas folhas
Que lês
Imagina-me no universo
Que contemplas
Fala-me nas linhas
Que és

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 21h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Angel

 

Anjos são reais?

Mensagem, abrigo, gestos. Um olhar de Deus mais humano e devotado. Não é uma imagem, é algo que possuo comigo desde que fui pensada. Preparado para tudo, um conjunto de cores ou um painel de lembranças. A vela de um barco, um degrau para elevar-se e ver o final da estrada.

Não estou só por causa de um anjo. Personagem de elogio e gratidão. A consideração mais perfeita. A música mais forte, que enche o vento que me leva do ontem ao hoje. Sem pavor do temporal que chega...

Comprazer-se deste Amor é segurança. Só a confiança nos transmite estabilidade. Ser apto a ouvir: estou aqui, sempre... é a felicitação mais completa.

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 17h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Envolver-se

 

O universo dos outros fascina. Não há nada tão bonito como, de ímpeto, ser hospedado num coração leal e descerrado. A primeira impressão é de quase invasão, é tudo tão gratuito.

Nunca sei o que tenho de fazer quando me cedem tesouros. Sinto-me diminuta na presença quem cede tão mais que eu. E sinto a importância do que me dizem, de outra maneira, enxergo-me como num espelho, e tantas vezes as respostas que dou são as que seriam úteis a mim.

Ou porque já as consegui, ou porque desejo atingir o que obrigo-me. Cada vez possuo mais conhecimento de que sou tanto daquilo que me é oferecido. Principalmente nas ações de amor e confiança, às vezes mal percebidas, mas que mudam continuamente o que há em possibilidades de ficar mais perfeito...

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 15h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Reciprocidades

 

Possuímos muitos modelos de relação. Aquela que cada vez penso ser a mais provocadora é a amizade. Há amizades que surgem com o passar do tempo, por se conviver no mesmo lugar, ou fazer a mesma coisa durante um determinado período. Uma reciprocidade que vai sendo estruturada. Há, porém, outras amizades que temos a sensação que chegam porque tinham mesmo que aportar. Por vezes tenho a impressão que as amizades mais profundas não nascem de uma escolha pessoal, de desejar à força ser amigo e muito chegado, mas de ser selecionado.

 

O que me faz crer na possibilidade de amar com independência é o fato de a vida nos eleger para viver repartições e reciprocidades com outra pessoa que entra na nossa vida sem que estivéssemos à expectativa. E assim, começa a existir um universo de credibilidade, de antecipações, de prazeres inesperados, de atenções. Um mundo que não poderá mais deixar de existir.

 

Um espaço de abrigo e um lugar de verdade, onde não exponho aquilo que teria obrigação de ser - o que penso que estaria na obrigação ser - mas sim onde sou aquilo que sou. E é porque este mundo me escolheu, é que tenho a possibilidade de ser completa nele. Somente aquilo que nos torna cativos, de fato, nos pode mudar.

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 17h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Da nossa amizade

 

Da amizade não se pode dizer muito sem correr o risco de perder bens meritórios. Uma amizade é bonita, é das coisas mais magníficas que possuímos. Quando esforçamo-nos por contemplar apenas a nossa paisagem, percebemos que esta seria um descampado se não soprassem nela ventos de repartição e grandes porções de confiança.

 

Se pudermos considerar a nossa paisagem como um terreno, então olharemos para árvores plantadas com paciência, frutas que contentam o corpo e a alma. As amizades são germes novos do nosso jardim, ajudam a tirar as pedras de uma terra a que somos já excessivamente habituados, e a transformá-la em solo fértil onde haja uma expectativa bastante condensada.

 

Na nossa amizade, esta esperança está estreitamente unida à confiança. Porquanto creio em ti, confio que serás maior do que alguma vez conseguiste supor. Tal como conhecer-te me fez ficar maior. Precisaríamos lembrar destas coisas mais vezes...

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 21h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Fontes de contentamento

 

Tenho me dado conta que a alegria pertence às consequencias de ter me deparado com alguma coisa. Ou algo que se perdeu e, depois de a buscar, se acha... ou algo que se procurava conseguir há algum tempo e, de fato, se alcançou. Ou alguém que não se via há bastante tempo e se encontra de novo. Ou, finalmente, uma surpresa que transforma várias coisas do presente.

A alegria tem algo de abraço a um presente que sucede ou que creio que esteja para realizar-se. Aí liga-se à esperança e o coração não fica paralisado na falta de otimismo e no desalento, ou na negligência.

Quando algo ou alguém é encontrado e abraçado, é um presente novo que arremessa forças para o futuro... um tesouro que não se pode esquecer, por mais diminuto que seja. Por fim, cada dia vemos o pôr do sol com as mãos inundadas de acontecimentos imprevistos...

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 23h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Boa noite

 

Boa noite, meu amor, boa noite
Não te esqueças de beijar o que sobrou do dia
E abraça a manhã com desejo

Bom dia, meu amor, bom dia
Pensei que nunca te enxergaria
Todavia, eis que chegas

E então, sei que não és fruto da minha imaginação
Mas sim vontade, brado, vocábulo
És meu, na seda da noite

Boa noite, meu amor… boa noite

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 12h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

De olhos fechados

 

Escuro o olhar que penetra dentro de mim e me vê desnuda na frente de um espelho desprovido de reflexo.
Talvez eu tenha fechado os olhos, ao ver-me tão pálida sob o teu reflexo de cobre, ou talvez eu tenha apenas dormido antes de o sonho principiar.

 

Tatiane Gorska



Escrito por Tatiane Gorska às 23h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, VILA SONIA, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, French, Livros, Música, Poesia
MSN - tati_russa@hotmail.com
Histórico
Outros sites
  Academia Poçoense de Letras e Artes
  A garganta da serpente
  Incautos do Ontem
Votação
  Dê uma nota para meu blog